FANDOM


Baldur

Balder

Segundo algumas fontes, este deus seria filho de Odin e Frigg, segundo outras seria apenas um "protegido" destes. Era, em qualquer dos casos, uma divindade da justiça e da sabedoria, e embora não pertencesse ao núcleo de deuses superiores, Aesir, era-lhe permitida a permanência em Asgard.

Balder (Baldr no original, ou também Baldur, como costuma ser chamado) disseminou a boa vontade e a paz em todos os lugares que visitou, o que fez dele um dos deuses mais amados. Sua popularidade e bondade inata atraíram a ira de Loki, que tramava o mal. Balder era atormentado por pesadelos, um sinal da morte iminente, e isso perturbava os deuses. Depois de muitos problemas, Odin determinou o destino de Balder e tomou algumas precauções para evitá-lo, enviando Friga com a missão de obter um juramento de todas as coisas, de que não iriam fazer mal a Balder. Porém, Loki se disfarçou de mulher e teve uma conversa com Friga, descobrindo que uma planta, o visco, não prestara o juramento, pois Friga a julgara inofensível a Balder.

Balder foi morto por uma flecha feita de um ramo de azevinho, atirado por seu irmão cego Hodr (ou Hod) - que por sua vez fora enganado por Loki -, conforme havia sido previsto. As tentativas para resgatar Balder de Hel foram frustradas por Loki. As profecias avisam, porém, que ele irá regressar antes do dia do fim-do-mundo: o dia de Ragnarök.

Não obstante, esperava-se que Balder retornasse após uma grande catástrofe mundial (o Ragnarök) e governasse um mundo novo. A semelhança dessas expectativas pode ter ajudado na difusão inicial do cristianismo entre os nórdicos.

Balder é marido da bela Nanna, uma deusa benevolente e bela, que se atirou em sua pira funerária para habitar Hel com seu marido. Juntos, o casal, são pais de Forseti, uma divindade da justiça, que alguns dizem presidir as Things (as assembléias dos homens livres).

AutoriaEditar

Usuário

FonteEditar

Wikipédia